Clássicos Infantis para conhecer (e amar) – Parte 01

Eu adoro livros infantis, principalmente clássicos. Ver o ponto de vista de uma criança sobre o mundo é uma das coisas mais fascinantes que você pode fazer, principalmente se você for adulto. Muitos dos meus livros preferidos são infantis.

Mas afinal o que é um livro infantil? Na maioria das vezes é um livro direcionado para crianças, contendo narrativa e enredos lúdicos. Muitos dos clássicos infantis, entretanto, não são bobos ou despretensiosos. Muitos apresentam um número incontável de metáforas e camadas que talvez uma criança não entenda, mas que cativa adultos. Trazem mensagens e retratam até mesmo a sociedade (no caso dos clássicos, a sociedade da época).

Assim, resolvi recomendar alguns clássicos infantis para vocês! Praticamente todos os livros dessas listas são muito especiais para mim, por algum motivo ou outro.

 

1 – Alice no País das Maravilhas (Lewis Carroll)

Alice é uma garotinha muito curiosa que, ao seguir um coelho branco, acaba caindo em um mundo totalmente louco, onde encontra animais falantes, porcos e duquesas, comida mágica, baralhos vivos e rainhas loucas. Todos conhecem a história de Alice, mas poucos entendem as fantásticas metáforas que se escondem em cada parágrafo.

Alice é o meu livro preferido e eu precisava incluir em primeiro! É um livro que me marcou muito, tanto pela história quanto pela complexidade das metáforas. Muitos dos personagens de Alice foram inspirados em pessoas reais e várias das situações são críticas à sociedade vitoriana de 151 anos atrás. Vale muito a pena dar uma chance tanto pra País das Maravilhas quanto pro segundo livro Através do Espelho!

Edição bonita é o que não falta… inclusive, já mostrei aqui a edição de 150 anos da Zahar.

 

2 – Anne de Green Gables (L.M. Montgomery)

A casa de Green Gables sempre foi habitada pelos irmãos Marilla Matthew Cuthbert. Agora em sua velhice Marilla e Matthew decidem adotar um garoto órfão para ajudá-los nas tarefas de casa e na lavoura. Tudo estava perfeitamente planejado, mas por um engano quem chega à Green Gables é Anne, uma garotinha ruiva e imaginativa. Anne é cativante, tem mania de falar demais e é muito curiosa. Aos poucos ela vai conquistando todos ao redor, enquanto se mete nas mais engraçadas confusões.

Outro livro que me marcou muito. São muitos personagens inesquecíveis dos quais destaco, obviamente, Anne. Anne é divertida, vaidosa, imaginativa, contestadora, curiosa, louca, atrapalhada… é uma criança adorável. É muito bom acompanhar o crescimento dela.

 

3 – O Jardim Secreto (Frances Hodgson Burnett)

 

Mary Lennox, filha de pais ingleses, foi criada na Índia. Ela nunca teve atenção dos pais e sempre teve tudo o que quis, o que a tornou mimada e egoísta. A vida de Mary seguia normal até o dia em que a mansão de sua família é bombardeada pela varíola, matando seus pais e criados. Assim ela é enviada para a propriedade de seu tio em Misselthwaite, onde encontrará mistérios sobre o passado do local, amizades verdadeiras e um jardim escondido que se relaciona diretamente com a casa e uma tragédia passada.

Todos deveriam ler esse livro em algum momento de suas vidas. Ele é muito simples mas carrega uma enorme importância. O Jardim Secreto traz lições muito bonitas sobre crescimento, natureza, fé, doença, morte, renovação, amizade… e muito mais. Os personagens são muito cativantes e passam por uma evolução tremenda. Todo o cenário do jardim secreto é encantador.

Ele tem também uma adaptação para o cinema lindíssima que vivia passando na Sessão da Tarde.

 

4 – A Princesinha (Frances Hodgson Burnett)

Sara Crewe é órfã de mãe e foi criada na Índia. Seu pai, o Capitão Crewe, é rico e sempre deu para Sara tudo que ela desejasse. No entanto, isso não fez de Sara uma menina mimada: a garotinha sempre foi muito sábia, inteligente, doce e imaginativa. Sara amava inventar histórias e contá-las para seu pai, para os empregados e para quem pudesse escutar. Ela passava horas lendo livros dos mais diversos assuntos.

A vida de Sara seguia muito tranquila até que chega a hora de ir para a Inglaterra estudar (como todas as crianças filhas de ingleses da época). Ela é levada para o internato de Miss Minchin, uma diretora gananciosa e interesseira. Lá Sara faz amigas e inimigas, o que lhe rende o apelido de Princesa Sara. Para Sara, uma princesa é uma pessoa que, mesmo contra as adversidades da vida, ainda mantém a nobreza e a bondade.

Então a vida de Sara vira de cabeça para baixo. Ela é avisada da morte de seu pai e descobre que nada lhe restou. Então ela é transformada em empregada do internato e terá que lutar por sua sobrevivência enquanto ainda tenta manter a princesa viva dentro de si.

Aaaah, que livro bonito. Ele é da mesma autora de O Jardim Secreto, e mantém a mesma beleza. Nesse livro Frances discute bondade, nobreza, riqueza, pobreza, imaginação, criatividade, inocência, maldade. Sara é uma das melhores protagonistas da vida e é em A Princesinha que encontrei uma das cenas mais bonitas que já li, quando Sara divide o pouquíssimo que tinha com uma pequena mendiga sem hesitar um instante. Leia, você não vai se arrepender!

 

5 – O Último Unicórnio (Peter S. Beagle)

Esse é o único livro da lista que não foi traduzido para o português. Mas se você lê bem em inglês eu recomendo muito que dê uma chance para The Last Unicorn.

O livro conta a história de uma Unicórnio que vivia em um bosque. Ela era imortal e dava vida ao bosque em que vivia sozinha. Até que um dia ela decide partir em busca do seu povo, já que ouviu que ela poderia ser a última unicórnio viva. Nessa jornada ela encontrará amigos, inimigos, magias, povoados e o seu oposto perfeito: o maléfico Touro Vermelho que ajuda um Rei tirano a dominar seu reino.

Esse é simplesmente um dos melhores livros que eu já li em toda a minha vida. Ele é muito poético e metafórico, os personagens são incríveis e a Unicórnio é sensacional. Uma cena genial está presente nesse livro: se não quiser saber qual, PULE PARA O PRÓXIMO. ALERTA. EU AVISEI. Após ser transformada em humana graças à circunstâncias forçadas que não revelarei, a Unicórnio (antes imortal) grita que sente seu corpo apodrecer a cada segundo. Ela não sentia o efeito dos anos, mas como humana ela se sente cada vez mais próxima da morte. Essa cena é tão profunda e tão simples ao mesmo tempo… parei a leitura, fechei o livro e pensei um pouco antes de continuar.

FIM DO SPOILER.

Recomendo muito que vejam a animação inspirada no livro, pelo menos. Panfleto The Last Unicorn sim e se reclamar eu faço post sobre. Na verdade, acho que vou fazer sim…

 

6 – O Pequeno Príncipe (Antoine de Saint-Exupéry)

Esse já é conhecido por todo mundo, mas são muitos que lêem só o resumo na internet e acabam perdendo o quão lindo é esse livro.

Ele basicamente discute, através de situações fantasiosas e metafóricas, questões sobre crescimento e acreditar não apenas no que vê, mas no que sente. Afinal, o essencial é invisível aos olhos…

É uma leitura muito rápida, o livro tem menos de 100 páginas então não vale ficar com preguiça. E é um livro muito envolvente e delicado, cheio de personagens inesquecíveis como o Pequeno Príncipe, a Raposa e a Rosa. É inclusive o livro favorito da Carol, representa tanto pra ela quanto Alice pra mim. E isso quer dizer muito!

 

7 – Onde Vivem os Monstros (Maurice Sendak)

Esse vocês devem conhecer pelo filme, né? Pois o livro é ainda mais rápido de ler. Ele é basicamente como uma historinha pra fazer crianças dormirem, é muito rápido e simples. As ilustrações do livro são lindíssimas!

Ele conta a história do menino Max e de como ele foi parar em uma terra estranha povoada por monstros. Obviamente é tudo metáfora.

Vale muito a pena dar uma olhada em Onde Vivem os Monstros, você termina em uns 5 minutos e vai te ensinar umas boas lições e te fazer pensar sobre temas como vida e infância.

 

 

Acho que podemos aprender muito com um livro “pra criança”. Podemos aprender lições marcantes sobre amizade, amor, família e até sobre sociedade com eles. Ao ler um livro infantil nos despimos do cobertor de adultos e voltamos para a época de inocência, uma época em que víamos tudo como uma grande aventura a ser explorada. É uma sensação ótima se conectar através da leitura com a criança que você já foi – e que continua dentro de você adormecida.

A cada post eu vou apresentar 7 clássicos infantis para vocês, sejam aqueles ultra conhecidos que você nunca deu atenção ou aqueles que você nunca ouviu falar. Cada post vai ser carregado de nostalgia, saudade e muita novidade 😉

E lembrem-se: livro não vem com data de validade.

♡ Você também vai amar: