Resenha: Despertar (Amanda Hocking)

Gemma tem 16 anos e vive na pequena cidade litorânea de Capri. Ela é uma excelente nadadora, é apaixonada pelo mar e sonha em poder competir um dia nas Olimpíadas. A vida dela é muito comum: está namorando seu amigo de infância; tem um pai ausente, uma irmã superprotetora e amigos que amam. Gemma sabe que é feliz. Pelo menos era antes de conhecer PennLexi Thea.

O trio surgiu repentinamente em Capri como turistas. Donas de uma beleza sobrenatural e incontestável, elas carregam consigo uma forte aura de mistério, tensão e perigo. As garotas demonstram um grande e estranho interesse por Gemma e em tê-la no seu grupo.

Coincidentemente, a partir do momento em que as três garotas chegaram a Capri pessoas começaram a aparecer mortas de maneiras grotescas, como se tivessem sido devoradas. Tais corpos costumam aparecer próximos à praia. Teriam Penn, Lexi e Thea alguma ligação com as macabras aparições? E porque estão tão interessadas em Gemma?

Venha, viajante fatigado, eu o levarei através das ondas. Não se preocupe, pobre viajante, pois a minha voz é o caminho.

Fato sobre mim: eu adoro mitologia de sereias. Já assisti dezenas de filmes e séries sobre o tema, já li muitos livros sobre sereias e sempre que posso tento conhecer um pouco mais sobre a mitologia desses seres fantásticos ao redor do mundo. Tudo que traz sereias já desperta o meu interesse.

Eu fiquei enrolando para comprar Despertar por muito, muito tempo. Por algum motivo sempre colocava o livro no carrinho de compras e depois tirava para comprar outros livros. O pontapé que me levou de vez a comprá-lo foi ver em uma livraria por apenas 15 reais. Olhei pra capa bem melosa e cheia de glitter e levei pra casa. Imaginei que seria uma leitura bem fácil e rápida. Gosto da ideia de apresentar a lenda sanguinária original das sereias, já que poucos autores o fazem. Bem, eu demorei mais de um mês pra terminar um livro que, pelo tamanho, me levaria poucas horas.

Quando eu pego um livro quero sentir alguma coisa. Seja qual for o sentimento: pode ser alegria, tristeza, aversão, raiva… qualquer sentimento. Se o livro me causa preguiça ao ponto de não querer olhar pra ele na estante eu sei que não é o livro certo pra mim. Despertar me causou tédio.

O primeiro problema foi a escrita da Amanda. Vi algumas pessoas comentando que o livro é lento em algumas partes, mas preciso discordar. Uma boa narrativa lenta é construída com calma, inserindo elementos lentamente para depois desenvolver a história. O Iluminado é um excelente exemplo de livro lento. Eu senti que a escrita de Despertar era arrastada. Eram páginas e páginas de nada que demoravam para passar.

A história também foi mal estruturada e a mitologia das sereias não foi bem desenvolvida. Tinha muito potencial que não foi aproveitado. Achei muito bobo como tudo se desenvolveu e tudo que o final me arrancou foi uma bela poker face.

Mas o que mais me deixou chateado foi a falta de carisma dos personagens. Nenhum deles é agradável. Gemma é muito mimada e uma protagonista difícil de simpatizar. Harper é insuportável e muito controladora, eu revirei os olhos durante 90% do tempo em que ela aparecia. Alex é um saco. Não comprei muito a vilania de PennLexi Thea. Daniel não fez com que eu torcesse por ele e Harper. Nenhum dos personagens me cativou, nenhum deles fez com que eu conseguisse me importar. Eles estavam ali. Só isso.

O romance foi outra decepção. Eu só consigo gostar de romance quando ele é bem trabalhado. Gosto quando ele não parece forçado e quando o autor te dá tempo pra simpatizar com os personagens e desperta em você a vontade de torcer pelo amor dos dois. Gosto quando é apresentado com calma e tranquilidade. Mas isso também não aconteceu. O instalove marca sua presença e o casal principal não tem carisma. Não é legal acompanhar o relacionamento deles, parece demasiado forçado. O fetch não aconteceu.

Por outro lado, a edição é bem bonita. A capa do livro tem glitter nas partes com água e a fotografia não é medonha como em grande parte dos livros com pessoas na capa. A diagramação também é boa com páginas amareladas. A editora teve o cuidado de inserir detalhes bem legais nas páginas: peixes, bolhas e ondas. Por enquanto não tenho planos de me desfazer do livro graças à edição.

Resumindo, não foi uma experiência tão boa. Eu fico chateado de escrever essa resenha, já que eu queria ter gostado de pelo menos um aspecto na história. Mas acho que uma resenha é feita para dividir experiências e conversar (às vezes desabafar) sobre um livro. Sei que muitas pessoas gostaram de Despertar, mas eu não consegui gostar. Isso não quer dizer que vocês também não irão, encorajo que tentem ler o livro e venham falar sobre ele comigo, vai ser interessante trocar ideias. Opiniões são opiniões, cada um tem a sua.

Não pretendo por ora ler os próximos volumes da série Watersong.

Despertar, Canção do Mar, Maré e Elegia

 

  • Leia Ouvindo

Mermaid Motel da Lana del Rey. É uma música bem lenta e faz várias referências ao festival de sereias de Coney Island.

♡ Você também vai amar: