REVIEW: Don’t Say No (Seohyun)

Quem é SONE ou acompanha o SNSD sabe que esperamos muito por um solo da Seohyun. Ela é uma das integrantes mais carismáticas e possui uma das melhores vozes do grupo, o que também garantiu seu lugar na sub-unit TaeTiSeo. Solos de três soshis foram lançados, mas nada da Seohyun debutar. Então fiquei muito feliz quando finalmente a notícia de seu debut veio à tona.

Eu não assisti nenhum teaser do MV, já que queria ser surpreendido. E como o meu papel no mundo é divulgar e enaltecer Seohyun eu vim fazer a resenha do primeiro mini álbum dela Don’t Say No. Vamos lá – e não digam não.

O mini álbum é bem pessoal para a Seohyun e ela inclusive mencionou que escreveu 6 das 7 músicas. Ela fala principalmente sobre amor no mini e decidiu trazer uma atmosfera um pouco mais adulta para seu debut solo – afinal já se passaram 10 anos desde que ela debutou com o SNSD. O álbum é a tentativa de Seohyun de se libertar da imagem fofinha de Seobaby e rumar para algo mais maduro, classudo e sexy. Ele mostra que Seohyun cresceu, agora é mulher e tem que encarar com muita fé.

Começamos com a faixa que dá nome ao mini. Don’t Say No é muito envolvente, quando o refrão chegou eu já estava completamente preso ao instrumental e à voz de Seohyun. Me chamou a atenção como o vocal dela está bom, ela parece bem confortável com o ritmo. Gosto de quando as notas mais altas no final são colocadas juntamente com o coro, fiquei balançando de um lado pro outro de olhos fechados.

O MV é muito bonito! Ela nunca esteve tão bonita, apostando no comendo-bijuteria concept, dançando numa estrada e comendo numa mesa fancy pra depois matar o cara e mostrar o cadáver. As cores utilizadas no MV são lindíssimas e o figurino combina muito com o conjunto.

O mini segue com um dueto entre Seohyun e Eric NamHello é tranquila sem ser monótona e eu gostei bastante do jeito que a harmonização das vozes foi feita.  Gostei também dos hello que aparecem em determinados momentos da canção.

Magic é uma das minhas preferidas. A voz da Seohyun é destacada aqui com muita elegância e o ritmo é bem sexy e maduro. O instrumental é muito envolvente e eu adorei cada magic.

Após Magic eu já fiquei bem mais atento com o mini. A próxima música é Lonely Love, que tem um refrão cheio de engrish. O instrumental é bem constante e tranquilo. O vocal da Seo aqui traz muita emoção e está muito calmo. É uma música muito suave, de ótima qualidade.

Depois de desacelerar pra curtir o momento com Lonely Love, Seohyun decide que é hora de me dar um tiro. Love & Affection é a minha preferida do álbum, sem a menor dúvida. O som me capturou desde o começo e QUE VOZ, SEOHYUN. Cada grito de “I hate your love, love & affection” me atingia e eu ficava tipo “OOOOH”. Foi mais ou menos assim.

Eu fiquei dando replay repetidamente por um tempo e o refrão grudou na minha cabeça. A canção termina subitamente depois de um “hey”, o que dá uma vontade enorme de ouvir a música de novo.  IMAGINEM UM MV DESSA MÚSICA. Seohyun, meu coração já é seu aqui.

Seohyun ainda não está satisfeita em me encher de músicas boas. A sucessora da sensacional Love & Affection é nada mais nada menos do que Bad Love. QUE MÚSICA. Não é exatamente farofa mas dá uma vontade incontrolável de dançar. O refrão é muito envolvente e a música cresce durante seu andamento, te prendendo naturalmente. A voz da Seohyun é extremamente suave e sexy. Fiquei com vontade de ouvir a música de novo ao escrever sobre ela. TAMBÉM QUERO MV SM.

Depois de entregar um álbum cheio de hinão chega a hora de encerrar. O encerramento em questão é Moonlight. Antes mesmo de dar play eu já esperava a balada obrigatória que encerra todo álbum de kpop. Me surpreendi de novo. Apesar de ser uma música lenta Moonlight não chega a ser uma balada. É extremamente calma e é cantada suavemente e sem afobação. É o tipo de música tranquilizante que eu escutaria em um dia estressante. Vi algumas pessoas comentarem na internet que Moonlight parece uma música que Spice Girls teria lançado em sua época de ouro. Não tinha pensado nisso, mas realmente combina.

 

E subitamente o primeiro mini álbum da Seohyun chegou ao fim. Fiquei triste por um lado, já que adorei cada música (umas mais do que outras, mas gostei de todas); mas feliz pela Seohyun ter entregado um álbum maravilhoso. Me surpreendi muito com a consistência e coerência das músicas. É um mini super gostoso de escutar e muito elegante.

É bom que Seohyun tenha conseguido mostrar não apenas seu potencial como solista e compositora, mas também sua versatilidade e crescimento. O álbum mostra que Seohyun cresceu. Ela não é mais a maknae fofinha Seobaby, agora é uma mulher crescida, independente, madura e que sabe o que quer.

Já viciei completamente no mini Don’t Say No e vou continuar acompanhando a carreira dela. Espero que a Seohyun continue tendo liberdade para alcançar níveis cada vez mais altos como solista e no SNSD. Ela merece muito sucesso e reconhecimento.

♡ Você também vai amar: